COES e entidades discutem formas de prevenir aglomerações irresponsáveis no Estado

A reunião ampliada do Centro de Operações de Emergência em Urgência (COES), realizada nesta terça-feira, 13, debateu medidas legais cabíveis e maneiras mais rígidas para lidar com aglomerações imprudentes, como as que foram percebidas no feriado de 12 de outubro. O encontro contou com a participação de conselhos estaduais, federações e representantes de todas as associações e instituições de Santa Catarina. As reuniões ampliadas do COES ocorrem toda terça-feira, às 14h.

Segundo o Secretário de Estado da Saúde, André Motta Ribeiro, estamos numa nova fase do enfrentamento da pandemia do Coronavírus em Santa Catarina e, por conta disto, o Estado tem aperfeiçoado sua gestão.

“Neste momento, estamos nos baseando em quatro pilares fundamentais: primeiro, a necessidade de diagnóstico precoce e qualificado do paciente com o monitoramento e a rastreabilidade de seus contatos; em segundo, a manutenção da estrutura de leitos já construída de UTI COVID, pelo menos até o dia 31 de dezembro de 2020; em terceiro lugar, vamos aumentar a fiscalização e vigilância de todos os regramentos e portarias construídas, junto aos gestores municipais; e, por último, reforçaremos a necessidade de entendimento da sociedade quanto ao momento que passamos. Estamos estruturando algumas campanhas de conscientização, pois em qualquer cenário é preciso que o povo catarinense faça também sua parte”, reforçou.

Quanto à sinalização positiva para realização da Oktober Fest no parque do Beto Carreiro, dada pelo juiz do caso por não considerar um evento, depois de parecer sanitário favorável do município, a Diretoria da Vigilância Sanitária estadual presente na reunião do COES ressaltou que o Estado acionou a Procuradoria Geral do Estado (PGE) para recorrer da decisão e está reforçando com o município as medidas restritivas.

Categoria:Exemplo de categoria