Editorial Editorial

O Brasil voltou 20 anos em 2

 

Como uma vírgula faz diferença. Retirei a ´virgula do slogan lançado pelo Presidente Temer e vejam o que deu, um grande retrocesso.

Depois da repercussão negativa, o governo recuou. Em uma nova versão, o nome da cerimônia mudou para Maio/2016 – Maio/2018: O Brasil Voltou.

As críticas aos dois anos do governo não encerram aí. A cartilha do governo com as vitórias da gestão Temer, segundo apurou o Poder 360, trouxe dados inflados. O governo optou por usar os melhores dados e não disse que de maio de 2016 a março de 2018 o número de trabalhadores com carteira assinada caiu de 38,7 milhões para 38 milhões, segundo o Caged.

A cartilha também cita uma “modernização” que ainda não foi votada, que é a privatização da Eletrobras, e enaltece o satélite que foi lançado há 1 anos e ainda não cumpriu a tarefa de levar internet a locais sem acesso.

Penso que nosso Presidente Michel Temer é um seguidor do Presidente dos EUA Donald Trump que é mestre na arte de usar o Fake News com a maior cara de pau e foi copiado pelo nosso Presidente.

De real mesmo só o fato que o Presidente Temer tem usado de tudo o arsenal do governo para se livrar das investigações solicitadas pela Procuradoria Geral da República que já foram em número de duas sendo bem provável que venha uma terceira e a única ideia na mente do Presidente é se livrar das investigações, por isso é bom lembrar que desde o dia 17 de maio do ano passado, quando veio à tona a célebre conversa entre Temer e o empresário Joesley Batista no subsolo do Palácio Jaburu, era previsível que o programa de reformas rumasse ao naufrágio. No fim do ano, estava claro que não haveria reforma da Previdência e que, na prática, o governo acabara.

Sem as reformas e sem nenhum tipo de perspectiva em relação às eleições de outubro, o país ficou à deriva. Projetos e decisões adiados. Planos cancelados. Investimentos reduzidos. O “legado” econômico do governo Temer esfarelou na incerteza.

E ele só pensa naquilo “se manter livre!”.