III Seminário Regional sobre Maracujazeiro

A Epagri realizou dia 25/03 no auditório da escola Nair Bratti em Sombrio, o III Seminário Regional sobre Maracujazeiro. A programação, que iniciou às 9h e estendeu até e às 16h, teve a participação de mais de 100 produtores de maracujá de Balneário Gaivota, Sombrio, São João do Sul, Araranguá, Santa Rosa do Sul, Antonio Carlos, Ermo e Jacinto Machado.

Participaram da abertura a Vice-Prefeita de Sombrio, o Presidente da Câmara de Vereadores Adenir Duarte e o Vereador Fernando Pereira e de Balneário Gaivota os Vereadores Mano Godinho e Valdinei da Rosa.

O III Seminário Regional sobre Maracujazeiro tratou principalmente do combate à virose do endurecimento do fruto, doença que quase dizimou os pomares da fruta em Santa Catarina e que foi controlada graças a um esforço conjunto de toda a cadeia produtiva, liderado pela Epagri.

Devido a virose do endurecimento do fruto Santa Catarina que produz o melhor maracujá do Brasil para consumo in natura, correu o risco de desaparecer em 2016, quando o vírus causador do endurecimento do fruto chegou aos pomares do Sul de Santa Catarina, a principal região produtora do Estado.

Segundo o produtor de maracujá de Balneário Gaivota Moises Matos Matias “não fosse uma ação rápida e conjunta liderada pela Epagri, esse ser microscópico poderia ter dizimado a produção da região, como já aconteceu no Norte Catarinense, onde a área plantada reduziu drasticamente nos últimos anos devido a uma série de percalços, entre eles o ataque de doenças”.

Segundo o responsável pela Epagri de Balneário Gaivota Natan Porto “hoje Santa Catarina conta com mais de 2 mil hectares de maracujazeiros, 90% desse total concentrado na região Sul do Estado. São aproximadamente 900 famílias que têm essa cultura agrícola como atividade econômica. Mais de 95% da produção é realizada por agricultores familiares. Em Balneário Gaivota o maracujá é a segunda maior fonte de renda da agricultura atrás do fumo com 40 hectares plantados e uma colheita anual de 1.200 toneladas o que introduz cerca de R$ 2 milhões na economia do município”.

Diante da importância do maracujá para Santa Catarina e especialmente para o Sul do Estado a Epagri promoveu a terceira edição do Seminário sobre maracujá, buscando principalmente, consolidar o trabalho de controle à virose, que deve ser contínuo e contar com apoio de todos os membros da cadeia produtiva e também tem realizado em parceria com os municípios a abertura da colheita, que em dezembro de 2018 aconteceu em Balneário Gaivota na propriedade de Moisés Matos Matias.

Categoria:Exemplo de categoria