Pizzolatti é réu mais uma vez na Lava Jato

Dois anos após o oferecimento da denúncia pela Procuradoria- Geral da República (PGR), a Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) votou por tornar réus quatro políticos do PP no âmbito da Operação Lava Jato nesta terça-feira. 6.

Responderão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro os deputados federais Luiz Fernando Faria (MG) e José Otávio Germano (RS) e os ex-deputados federais João Pizzolatti Jr. (PP- SC) e Mário Silva Negromonte - ex-ministro das Cidades no governo Dilma e, atualmente, conselheiro do Tribunal de Contas dos Municípios do Estado da Bahia.

Ficaram livres da acusação três deputados federais que também haviam sido denunciados pela Procuradoria-Geral da República, o líder do PP na Câmara. Arthur de Lira (PP-AL). Roberto Pereira de Britto (PP-BA) e Mário Negromonte Junior (PP-BA), filho do conselheiro do Tribunal de Contas dos Municípios do Estado da Bahia.

A denúncia original, de março de 2016, atribuiu aos sete políticos do PP os supostos recebimentos de vantagem indevida decorrente da cobrança de percentuais sobre os valores dos contratos firmados pela Diretoria de Abastecimento da Petrobras entre 2006 e 2014.

Além desta denúncia contra políticos do PP. tramita no STF uma outra envolvendo parlamentares do partido - a do “quadrilhão do PP” - que foi oferecida pelo então procurador-geral Rodrigo Janot no seu último mês de mandato, setembro de 2017.

 

Categoria:Exemplo de categoria

Deixe seu Comentário